Impactos negativos na qualidade de vida

• Nutrição

A necessária conscientização sobre escolhas nutricionais

Escrito por: Fernanda Ortiz

O Brasil enfrenta desafios significativos em relação à alimentação, impulsionados especialmente pelo consumo de produtos ultraprocessados. De acordo com o relatório Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo da Organização das Nações Unidas (ONU), o total de pessoas que sofrem com a insegurança alimentar atinge 70,3 milhões no País. Em contrapartida, a obesidade acomete 22,4% da população adulta brasileira. Entre as crianças, já são 6,4 milhões com sobrepeso e 3,1 milhões com obesidade. A alta prevalência nos dois cenários provoca diversas complicações e doenças, com impactos negativos na qualidade de vida.

Para a nutricionista clínica Tatiana Bononi, gerente de Nutrição do Hospital São Camilo, em São Paulo, a complexidade dos problemas alimentares traz a necessidade da promoção de políticas públicas de acesso, especialmente para a população de baixa renda ou na linha da pobreza. “Além disso, é preciso tomar medidas urgentes de conscientização sobre a seleção de alimentos com aporte nutricional necessários para o bom funcionamento do organismo e para a qualidade de vida”, avalia. Dessa forma, será possível reduzir os impactos negativos na qualidade de vida.

A desnutrição, assim como a obesidade, decorre da falta de nutrientes essenciais. Assim sendo, ambas as condições ocorrem pela ingestão insuficiente de alimentos ou pela má alimentação atribuída, principalmente por escolhas alimentares inadequadas.  Na lista dos piores alimentos consumidos pelos brasileiros estão refrigerantes, batata frita, carnes processadas – a exemplo de bacon, salsichas, nuggets, enlatados –, sorvete, especialmente os de massa. Além disso, fazem parte da lista biscoitos e churros recheados, cachorro-quente, margarina, salgadinhos de pacote e macarrão instantâneo.

Escolhas saudáveis

  • Alimentos in natura devem ser a base de todas as refeições. Portanto, inclua na dieta hortaliças (legumes e verduras), frutas, arroz, milho e outros cereais em grãos. Além disso, consuma feijão, suco de fruta natural, castanhas, farinhas de mandioca, milho ou trigo. Carnes de gado, porco e aves; pescados frescos, resfriados ou congelados; ovos; chá, café e água potável também fazem parte da lista.

Consuma com moderação

  • Ingredientes culinários extraídos de alimentos in natura ou outras fontes da natureza podem ser usados moderadamente para tempero e preparos culinários. Por exemplo, óleos de soja, milho, girassol e canola; azeite de oliva, manteiga, gordura de coco, açúcar de mesa branco, cristal, demerara ou mascavo; sal de cozinha refinado ou grosso.
  • Alimentos processados que recebem sal, açúcar, vinagre ou óleo podem estar inclusos na dieta com consumo moderado. Entre as opções, destaque para legumes preservados em salmoura ou em solução de sal e vinagre, extrato ou concentrado de tomate, frutas em calda ou cristalizadas, geleias, carne seca, sardinha e atum enlatados, e queijos.

Reduza ou elimine

  • Reduza o consumo de alimentos com ‘calorias vazias’ que não possuem boa quantidade e/ou variedade de outros nutrientes e compostos benéficos. Por exemplo, bebidas açucaradas e alcoólicas, e doces. Portanto, esses alimentos devem ser ingeridos com moderação, pois o consumo excessivo pode ser fator de risco para o desenvolvimento de algumas doenças crônicas como obesidade, diabetes, câncer e pressão alta.
  • Os alimentos ultraprocessados formulados à base de ingredientes extraídos ou derivados de alimentos (óleos, gorduras, açúcar, amido modificado) ou sintetizados com corantes, aromatizantes e realçadores de sabor devem ser evitados ao máximo. Afinal, favorecem o consumo excessivo de calorias e prejudicam a sensação de saciedade.

Guloseimas, cereais açucarados, misturas para bolo, margarina, barras de cereal, sopas, macarrão e temperos instantâneos devem ser evitados. Além disso, molhos prontos, salgadinhos, refrescos e refrigerantes, produtos congelados, pães, bolachas e biscoitos feitos com gordura vegetal hidrogenada, açúcar, amido, soro de leite e emulsificantes, entre outros, devem ser evitados.

DIREITOS RESERVADOS ®
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização da Companhia de Imprensa e da Yakult.

Matérias da Edição