• Matérias da Edição

| L. Shirota

Benefícios dos psicobióticos para o eixo cérebro-intestino

Escrito por: Adenilde Bringel

A partir do contexto de que os microrganismos intestinais influenciam a função cerebral e o estado psicológico, pesquisadores têm investigado os benefícios dos probióticos. Em um artigo de revisão, cientistas do Instituto Central Yakult afirmam que os probióticos que conferem benefícios ao eixo cérebro-intestino são agora chamados de psicobióticos – originalmente definidos como organismo vivo que, quando ingerido em quantidades adequadas, produz um benefício à saúde em pacientes que sofrem de doenças psiquiátricas.

“Vários estudos em animais demonstraram que a administração de probióticos mantém a função de barreira da mucosa em situações estressantes e atenua as respostas de glicocorticoides e citocinas inflamatórias induzidas pelo estresse, e essa mitigação é acompanhada por uma redução no comportamento relacionado à depressão e ansiedade”, destacam os autores. Além disso, os probióticos reduzem a expressão de receptores para o neurotransmissor inibitório ácido gama-aminobutírico (GABA) e a expressão de cFos, um marcador de atividade neuronal, no cérebro, possivelmente modulando o eixo intestino-cérebro.

Inúmeros testes em humanos também mostraram a função dos probióticos no controle da ansiedade e da depressão. Um estudo randomizado controlado em adultos idosos, com idades entre 48 e 79 anos, examinou os efeitos do Lactobacillus casei Shirota no humor e na função cognitiva. Em um subgrupo com alto índice depressivo no início do estudo, os participantes da intervenção mostraram uma melhora significativa no humor depressivo em comparação com aqueles que receberam placebo.

Esta observação foi apoiada pelos resultados de estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo com trabalhadores petroquímicos que ingeriram iogurte probiótico ou cápsulas contendo Lactobacillus acidophilus LA5 e Bifidobacterium lactis BB12 por seis semanas, melhorando parâmetros de saúde mental. Em outro estudo, foram avaliados os efeitos de Bifidobacterium longum NCC3001 na ansiedade e depressão em pacientes com síndrome do intestino irritável. A análise de ressonância magnética funcional mostrou que o probiótico reduziu as respostas a estímulos emocionais negativos em várias áreas do cérebro em comparação com o placebo.

Outro estudo com mulheres saudáveis demonstrou que a suplementação com um produto lácteo fermentado contendo cepas probióticas de Bifidobacterium animalis subsp. lactis CNCM I-2494, Streptococcus thermophilus CNCM I-1630, Lactobacillus bulgaricus CNCM I-1632 e CNCM I-1519, e Lactococcus lactis subsp. lactis CNCM I-1631, por quatro semanas, alterou a atividade das regiões do cérebro que controlam o processamento central de emoção e sensação, quando comparado com os grupos de controle. O artigo ‘Probiotics: a dietary factor to modulate the gut microbiome, host immune system, and gut-brain interaction’ foi publicado em 2020 no periódico Microorganisms (8(9): 1401).

DIREITOS RESERVADOS ®
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização da Companhia de Imprensa e da Yakult.

Posts Recentes

• Mais sobre Matérias da Edição